ReuniaoComite171117-600x400.jpg

Comitê Nacional define agenda de ações para reafirmar caráter 100% público da Caixa

17/11/17 14:57 /

 

O Comitê Nacional em Defesa da Caixa, reunido nesta sexta-feira (17), em Brasília (DF), definiu uma agenda nacional de ações para reafirmar o caráter 100% público do banco, com prioridade para a criação de comitês estaduais em todo o país. A reunião ocorreu na sede da Fenae e teve o objetivo de debater e elaborar um calendário de novas mobilizações, no sentido de unificar e fortalecer a campanha “Defenda a Caixa você também”, lançada em 3 de outubro pela Fenae e por outras entidades representativas.

Ficou definido que esse movimento será desenvolvido em três etapas distintas e complementares, com ênfase para ações organizativas, de comunicação e de mobilização. Um consenso: essa luta não deve ficar restrita apenas à Caixa, mas precisa envolver aliados em todas as empresas públicas e no conjunto da sociedade brasileira.

“Como em outros momentos decisivos, somos chamados a atuar coletivamente para defender o patrimônio que é de todo o povo brasileiro. Ninguém mais do que os empregados da Caixa e os trabalhadores de maneira geral para saberem a importância do banco para as ações sociais de todo o país”, afirmou Jair Pedro Ferreira, presidente da Fenae.

Ele lembrou de que já existe um consenso de que será preciso intensificar o trabalho junto aos parlamentares no Congresso Nacional para esclarecer sobre os riscos da transformação da Caixa em Sociedade Anônima, primeiro passo para a abertura de capital do banco. “Temos que alertar os deputados e senadores, lembrar que, se hoje é difícil encontrar um cidadão brasileiro que não tenha relação qualquer com o banco, isso ocorre porque a Caixa é 100% pública”, salientou.

Para o diretor de Relações Institucionais da Fenag, Marconi Apolo, o momento é de unidade. “Precisamos estar unidos e fortalecidos para ter êxito em nossas demandas e, hoje, nosso objetivo maior é a defesa da Caixa 100% pública”, ressaltou. E acrescentou: “É imprescindível o apoio da população. Precisamos mostrar para sociedade como é o país com ou sem a Caixa”.

Defesa da Caixa

Na questão organizativa, o foco será a criação de comitês estaduais, a ser composto com representantes das entidades que integram o Comitê Nacional em Defesa da Caixa, a exemplo de Fenae, Fenag (Federação Nacional das Associações dos Gestores da Caixa), Fenacef (Federação Nacional das Associações de Aposentados e Pensionistas da Caixa), Advocef (Associação Nacional dos Advogados da Caixa), Aneac (Associação Nacional dos Engenheiros e Arquitetos da Caixa), AudiCaixa (Associação Nacional dos Auditores Internos da Caixa), Social Caixa (Associação Nacional dos Técnicos Sociais e Assistentes de Projetos Sociais da Caixa), Contraf/CUT (Confederação Nacional dos Trabalhadores do Ramo Financeiro), Contec (Confederação Nacional dos Trabalhadores em Empresas de Crédito) e FNRU (Fórum Nacional de Reforma Urbana).

O compromisso é de que, até a próxima quarta-feira (22), cada entidade envie a lista de seu representante para fazer parte desses fóruns estaduais, cujo formato será igual ao do nacional. Esses comitês serão constituídos com a finalidade de discutir estratégias em defesa da Caixa 100% pública, sendo fundamental para isso fomentar a articulação de câmaras de vereadores e assembleias legislativas com entidades sindicais e associativas e com os movimentos sociais. Outra meta é divulgar orientações para que sejam formadas frentes amplas de apoio a essa luta.

Peso na comunicação

A área de comunicação também é vista como prioritária. Nesse particular, uma das ações será intensificar o processo de difusão da campanha “Defenda a Caixa você também” pelo acesso do site www.defendaacaixa.com.br. Para os próximos dias, a ideia é divulgar materiais específicos para os diversos públicos, de modo a estabelecer um diálogo permanente tanto com os empregados da Caixa quanto com amplos setores da sociedade brasileira, unindo a luta pela manutenção do banco 100% público com a defesa dos direitos dos empregados.

No site www.defendaacaixa.com.br, será disponibilizada uma agenda de debates em defesa da Caixa 100% pública, assim como dados comparativos entre investimentos dos bancos públicos e da bancada privada nas mais diferentes áreas do desenvolvimento do país. Essa iniciativa visa ajudar no processo de esclarecimentos dos parlamentares das audiências públicas, podendo ainda gerar pauta de divulgação pela mídia.
 
Outra ação aprovada durante a reunião de Brasília do Comitê Nacional foi a de massificar o slogan “Defenda a Caixa você também”, a ser divulgado em todo o material de comunicação produzido pelas entidades do movimento sindical e associativo. O desafio é continuar conquistando sempre mais, reforçando a importância da Caixa para o Brasil e os brasileiros, com destaque para a atuação do banco em áreas como habitação, saneamento básico, infraestrutura, educação, esporte, cultura, agricultura, poupança, FGTS e o futuro do país.

Intensificar a mobilização

Na etapa da mobilização, outro importante alicerce da campanha em defesa da Caixa 100% pública, as iniciativas serão adotadas com base em um calendário de ações. Será estimulada a continuidade de realização de audiências públicas no âmbito do Congresso Nacional, Assembleias Legislativas e Câmaras Municipais. A avaliação é de que a mobilização institucional tem sido importante para reafirmar o caráter público da Caixa e de outras empresas estatais.

Nos próximos dias, o Comitê Nacional em Defesa da Caixa irá promover uma força-tarefa para distribuir o material da campanha “Defenda a Caixa você também” de gabinete a gabinete da Câmara dos Deputados e do Senado Federal. Em 27 de novembro, aliás, haverá ainda uma reunião da Frente Parlamentar Mista em Defesa dos Bancos Públicos, sob a coordenação do senador Lindberg Farias (PT/RJ), a partir das 14h. Nesse dia também, às 10h30, na sede da Fenae, será realizada mais uma reunião do Comitê Nacional.

Outro foco de evento propício para a mobilização em defesa da Caixa é a 72ª Reunião Geral da Frente Nacional de Prefeitos, a ser realizada na cidade de Recife (PE), entre os dias 27 e 29 de novembro. Nesse contexto, o Comitê Nacional em Defesa da Caixa irá fazer gestões junto aos municípios para que seja resgatado o programa Minha Casa Minha Vida (Faixa 1).   
 
Ao participar da reunião na sede da Fenae, o represente da Aneac, Geraldo Aires da Silva Junior, diretor de Assuntos Jurídicos, falou do Congresso da entidade em Brasília, a ser realizado no próximo dia 23 de novembro. Nessa ocasião, segundo ele, haverá o lançamento de um movimento nacional em defesa da Arquitetura e da Engenharia públicas, tendo em vista os frequentes ataques perpetrados pelo governo ilegítimo de Michel Temer contra a área de habitação do banco.

“Dentro da Caixa esse ataque acontece em relação à subsidiária Caixa Imóveis, antiga Habitar, que vem sendo desmontada por meio da contratação de profissionais estrangeiros para assumir a função antes exercida por engenheiros e arquitetos do próprio banco. Isso irá gerar o fim do emprego nessas duas áreas”, alertou. Segundo Geraldo Silva Junior, o movimento em defesa da Arquitetura e da Engenharia públicas é um braço importante da campanha “Defenda a Caixa você também”.

Para Márcia Maria Bandeira de Carvalho, que representou a Social Caixa na reunião do Comitê Nacional em Defesa da Caixa, “a questão dos benefícios sociais precisa ser resgatada urgentemente, para reafirmar o perfil 100% público do banco”.

O representante do FNRU, Miguel Lobato (Miguelzinho), considerou importante reforçar a mobilização nas ruas em defesa da Caixa 100% pública. Durante a reunião, Miguelzinho instigou as entidades presentes a discutirem a melhor forma para os movimentos sociais de todo o país ajudarem a campanha “Defenda a Caixa você também”. Ele defendeu a realização de manifestações em cada canto do Brasil para denunciar a tentativa governamental de tornar o banco em S/A.

A reunião desta sexta-feira contou com a participação de representantes da Fenae (Jair Pedro Ferreira e Cardoso), Fenag (Marconi Apolo), Aneac (Geraldo Silva Junior), Social Caixa (Márcia de Carvalho) e Contraf/CUT (Fabiana Uehara).

Saiba mais sobre a campanha “Defenda a Caixa você também” acessando o site www.defendaacaixa.com.br.