Sobre

A campanha

A campanha “Defenda a Caixa você também” foi lançada no dia 3 de outubro de 2017, no Rio de Janeiro (RJ). A iniciativa é do Comitê Nacional em Defesa da Caixa, formado por diversas entidades. O objetivo é mostrar a importância do banco para o Brasil e os brasileiros, destacando a atuação em áreas como habitação, saneamento, infraestrutura urbana, educação, esporte, cultura, entre outras, envolvendo a sociedade nos debates e na luta.

Formam o Comitê Nacional: Federação Nacional das Associações do Pessoal da Caixa Econômica Federal (Fenae), Federação Nacional dos Gestores da Caixa Econômica Federal (Fenag), Federação Nacional das Associações de Aposentados e Pensionistas da Caixa Econômoica Federal (Fenacef), Associação dos Advogados da Caixa Econômica Federal (Advocef), Associação Nacional dos Engenheiros e Arquitetos da Caixa Econômica Federal (Aneac), Associação Nacional dos Auditores Internos da Caixa Econômica Federal (AudiCaixa), Associação Nacional dos Técnicos Sociais e Assistentes de Projetos Sociais da Caixa Econômica Federal (Social Caixa), Confederação Nacional dos Trabalhadores do Ramo Financeiro (Contraf), Confederação Nacional dos Trabalhadores nas Empresas de Crédito (Contec) e Fórum Nacional da Reforma Urbana (FNRU), além das centrais sindicais CUT, CTB, Intersindical, CSP/Conlutas e UGT.

O pontapé da campanha "Defenda a Caixa você também" ocorreu em frente ao prédio da Caixa da Almirante Barroso, conhecido como “Barrosão”, palco de inúmeras mobilizações dos empregados. O lançamento integrou as atividades do Ato em Defesa da Soberana Nacional, que reuniu trabalhadores de empresas públicas como Petrobras, BNDES, Caixa, Banco do Brasil, Eletrobras, Correios e Casa da Moeda, e representantes de entidades do movimento sindical e associativo das categorias. A campanha ocorre em um momento decisivo. Afinal, a cada dia estão mais claros os planos do governo de Michel Temer para privatizar o banco. O primeiro passo pretendido é a transformação da empresa em Sociedade Anônima.

A Caixa não pode deixar de ser o banco da casa própria, da poupança, do saneamento básico, do Fies, do Bolsa Família, dos municípios. Isso só é possível com a manutenção do caráter 100% público. Às instituições privadas não interessa o papel social desempenhado pela Caixa, o que significa dizer que ele não será mantido. Por isso, é fundamental que empregados do banco e sociedade se unam na defesa da Caixa 100% pública, forte e social.

Defender a Caixa é defender o Brasil!
Defenda a Caixa você também!